Instagram

Ditadura da beleza | gordinhas x magrinhas

12:27

Olá pessoal tudo bem com vocês?
Hoje venho compartilhar um momento que tenho vergonha mas que acho interessante falar. Eu sempre fui alta, não me lembro de quando era pequena, sempre tive corpo parecido com o do meu pai. Ele era alemão, alto com o quadril largo, ombros largos e com as coxas grossas. Sempre fui igualzinha a ele, até no gênio ruim como diz minha mãe, rs. Na escola, nunca sofri preconceito da parte de ninguém, ate porque nunca dei abertura e intimidade para ninguém fazer piadinhas. E aproveitava que era a mais alta, dizia que iria bater (mas na verdade sempre apanhei, por medo de machucar as outras crianças), fui crescendo e tomando forma, a família da minha mãe tem questão de seios grandes e gordurinhas localizadas... Aí sim comecei a me "Cuidar" mais, comecei academia com 11 anos, e desde então não parei mais. Mas, foi aos 16 anos que comecei a ser preconceituosa comigo. E posso dizer que me perdi aí, desse dia em diante comecei um "regime" por conta própria que deu certo até os 18 anos. Emagreci bem nesta época, fiquei bem comigo mesma, mas aos 18 quase 19 comecei a sentir que tinha algo errado. E pessoas já me diziam que estava doente, mas sabe aquele momento em que a cabeça pensa de forma errada, mas o coração sabe que tem algo errado? Era o que sentia, e comecei a prestar mais atenção no que estava fazendo. Foi ai que me assustei, juro por DEUS, vivia praticamente 12 horas de água e gelo. Li em um blog que na minha época era tipo um diário on-line, uma moça da minha idade dizendo que ela pegava um plástico de guardar comida na geladeira, sabe? E colocava água e colocava no freezer, fazia pedras grandes de gelo e quebrava a pedra e comia aquilo. Assim mastigava mas não ingeria calorias. Ai o que fiz durante 2 anos? A mesma coisa, e fazia isso ate no trabalho. Lembro que pedia para funcionários do mc, ou dos cafés que conhecia para guardar as minhas pedrinhas de gelo, absurdo total!!! Aos 19 anos, recém feito 19 passei muito mal e fui internada. Lá fiquei e fiz vários exames e os médicos me deram o primeiro diagnóstico:  câncer. Sim, acharam que estava com câncer, pois, minha anemia estava profunda e os meus níveis de glóbulos e plaquetas estavam tão baixos, que poderia morrer a qualquer momento, já que estava com hemorragia interna e externa. Fiquei muito nervosa, e descobri que além disso estava com pressão altíssima (herança de família), e ai começou o meu pesadelo. Tudo o que queria era ficar magra por que as magrinhas eram mais "felizes" e tinham oportunidades de modelar (ainda não existia modelo Plus Size na minha vida e nem queria saber disso, odiava quando me chamavam de cheinha). E vi que por rótulos que nos colocam com o se fossemos bichos, que percebi que não estava fazendo por mim, eu era feliz cheinha e não me sentia mal. As pessoas sempre me acharam bonita, e eu me sentia linda. Só fiz "regime" sozinha sem ajuda de profissionais, por que estava começando a crescer essa ditadura ridícula, que mostra mulheres "perfeitas", e que dizem que se não for assim não serve para nada. Gente, vamos acordar pra vida? Cada um tem seu limite, sua sabedoria, sua diversidade, sua força de vontade seja magro ou gordo. As vezes fico mais de 15 horas trabalhando e vejo magrinhas que não aguentam 6h sentadas pq cansa, imagine em pé como eu então... Então digo que nunca pensei que seria tão vergonhoso dizer que já vomitei após comer só para não engordar. E que comia gelo o dia todo para não ingerir calorias. Não sei o nome correto para a minha doença mental da época, mas sei que adquiri Púrpura trombocitopenica idiomática. Até hoje 10 anos após ser internada, tenho que retornar ao medico 1 x por ano, para revisão completa. Engordei sim, mas hoje tenho saúde que é a única coisa que importa. Sou saudável apesar de gordinha, faço exercícios físicos, não tenho problemas mais graves de saúde. E posso dizer que sou extremamente feliz e realizada comigo mesma. Não sigam esses caminhos tortos. Se tem vontade de emagrecer, vá ao médico, faça check-up completo e aí sim veja o que seria melhor para seu tipo físico ou saúde. Não vivam apenas de regimes doidos que viram por ai. Não façam como eu, que quase perdi minha vida por querer um corpo que não me pertencia. Só queria compartilhar o que aconteceu comigo e espero ter ajudado. Beijinhos e até o próximo post.

Se gostou clique no G+ 1 e compartilhe com os amigos

0 comentários

Comente Aqui